Profª. Adriana Calvo - Direito do Trabalho
ÁREA RESTRITA A ALUNOS
Facebook
Twitter
Youtube
Busca

Notícias

Gestante tem direito a indenização substitutiva
06/07/2006
Arquivo Notícias
A 5ª Turma de juízes do TRT de Minas Gerais decidiu, por unanimidade, deferir à ex-empregada gestante os salários e demais direitos a partir de sua dispensa, até cinco meses após o parto, entendendo que a empregada gestante portadora da estabilidade assegurada na Constituição, tanto pode pleitear na Justiça do Trabalho a sua reintegração ao emprego como a indenização substitutiva do direito à estabilidade.

A decisão afastou o entendimento de que aestabilidade assegurada em lei visa a proteger o emprego, não sendo dado à empregada gestante converter a reintegração em pedido de indenização, na medida em que uma só seria possível quando a outra fosse inviável.

Desta forma, a sua eventual recusa a ter de volta o emprego ofertado não importaria renúncia ao direito, de vez que a licença-maternidade consiste em direito assegurado pela Constituição da República (artigo 7º, inciso XVIII) e os salários devidos no período de afastamento têm natureza previdenciária. Como após o parto a empregada não poderia estar trabalhando, seria impossível a reintegração. Até porque, como cristalizado na Súmula nº 244 do TST, a garantia de emprego à gestante não autoriza a reintegração, restringindo-se aos salários e demais direitos correspondentes ao período de estabilidade. (RO - 01140-2005-032-03-00-6)
Fonte: TRT 3
Calvo e Fragoas Advogados
MATRIZ
Edifício Metrópolis
Itapecuru 645 - sala 1325
Alphaville Industrial Barueri SP CEP 06454-080
Tel: 11 4195-8130
FILIAL
Av. Paulista 726, 17º Andar, Cj. 1707-D
Bela Vista São Paulo SP CEP 01310-910
Tel: 11 3254-7516
Fax: 11 3254-7628
Powered By Vexxo